12/07/2017

[NOVO MORAR] Ruby Borba fala sobre decoração afetiva

Recentemente rolou um bate-papo ao vivo, no canal do YouTube do CasaDesignStudio com a Ruby Borba, referência no design contemporâneo de interiores brasileiro que trabalha com o conceito de decoração afetiva. 

Foi a estreia da nova série do canal do CasaDesignStudio, o Novo Morar, que tem o propósito de gerar insights sobre novos caminhos para a construção de um lar que dialogue com as transformações de uma era que está sendo moldada pela inovação tecnológica, pelo conhecimento, pela conectividade, capacidade de customização e alcance.

Estamos vivendo um profundo despertar de consciência sobre o modelo econômico vigente da era pós industrial, baseada na produção de massa, hiperconsumo e descarte.

Ruby traz essa consciência para a decoração, entende que as mudanças estão muito aceleradas e traz toda essa clareza para mudar a nossa relação com a casa. 

Nesse bate-papo pude entender um pouco mais sobre os desdobramentos dessas mudanças em nossa casa, e observei alguns aspectos que dizem muito sobre como as novas gerações estão vivendo.

Destaquei alguns pontos citados pela Ruby que mais dialogam com o Novo Morar:


  • Com todas essas transformações no mundo o senso de comunidade se extende para a nossa casa, há uma busca maior por vivências coletivas.



  • Estamos repensando o consumo, nos expandindo para a consciência de que nossos desejos são muito maiores do que nossas necessidades.



  • Há uma maior compreensão do propósito da nossa casa e o nosso papel dentro dela.

Por fim, destaco uma fala da Ruby que revela uma alegria sobre o morar e sobre o seu  trabalho, que é pura inspiração:

"A decoração não é sobre o ter, a decoração é sobre se reconhecer no espaço. Quando uma pessoa se reconhece no espaço, se vê no ambiente e entende a razão por estar ali. Se vê transportado nas paredes, nos móveis e nas cores. É uma sensação muito boa, que eu gostaria que muitas pessoas tivessem e que muitas pessoas ainda não têm e isso é o que me motiva a fazer a decoração afetiva hoje, porque eu sei que muitas pessoas têm casa, têm condições de mudar as coisas, mas não se reconhecem dentro da sua casa e não se sentem tão a vontade o quanto poderiam se sentir."

Confira agora o nosso bate-papo, espero que seja muito inspirador para você, assim como foi para mim!


Nenhum comentário :

Postar um comentário