05/07/2017

Como será o novo morar dos brasileiros

O mundo mudou e nós mudamos o nosso comportamento em relação a ele.

Os excessos começaram a ser questionados: o consumo, as relações pessoais, a internet e etc. Em nossa trajetória, a todo momento estamos evoluindo, crescendo, aprendendo, errando e nos aperfeiçoando. 

A maneira como nos relacionamos com o mundo e a forma como nos expressamos nele, estão intimamente ligados com a forma como moramos.

A casa é um organismo vivo, é muito mais do que uma sustentação de tijolos e paredes, assim como nós uma casa nasce, cresce e escreve a sua própria história.







Com a internet e as mídia sociais, o conceito de intimidade é outro, os limites entre o público e o privado já quase não existem mais e a casa se abriu. Dê uma navegada pelo Instagram e será muito fácil observar isso.  Muitas pessoas têm encontrado na decoração um caminho para construir a própria identidade, o estilo próprio, a liberdade e a alegria de viver. E o melhor, de um jeito novo.

Cada um de nós pode ver a sua casa refletida nessas novas tendências e valores que  se transformam em novos comportamentos e hábitos de vida. Fazemos parte de uma nova geração que está vivendo de forma mais simples e engajada. 




A geração atual, busca acumular experiências e não bens materiais, fazendo crescer maneiras incomuns de relação com o trabalho, o que influencia os conceitos de morar.

Aos poucos estamos nos abrindo para uma economia colaborativa, e desta forma o ideal que conhecíamos da casa também sofre transformações. Por exemplo: a noção de tempo específico pra cada atividade, como lazer, trabalho e família, está se transformando devido a presença dos co-works, casas escritórios e de empresas com cara de casa. 

Um outro exemplo são as várias gerações dentro dos lares, hoje é muito comum um jovem de 20 anos morar com a sua avó. E não para por aí, a família tradicional com pais e filhos, praticamente não existe mais.


Vamos entender um pouco das transformações que já ocorreram entre algumas gerações?


A tendência da estrutra familiar tradicional representa a geração Baby Boom (nascidos entre 46  e os primeiros anos da década de 60), onde a identidade é construída a partir da independência dos pais e da autoridade.

Com a geração X (nascidos a partir dos anos 60 e os primeiros anos da década de 80), surge os novos tipos de família e a identidade é buscada pela adesão do grupo.

Já com a geração atual, a família é o que quer que seja; podendo ser formada por não familiares e a identidade é construída sendo sincero consigo mesmo.




Outros fatores que levam as pessoas a pensarem em uma nova dinâmica do morar é a crise econômica, violência urbana e se locomover pela cidade.

Por tudo isso e muito mais, a ideia de compartilhar a casa com amigos e até mesmo desconhecidos ficou mais presente do que nunca.

Para a geração atual o "ser" é o novo "ter".

O que podemos observar é que não desejamos mais um estilo de vida anacrônico e autodestrutivo, onde vivemos em um constante estado de tensão, competição e luta pela sobrevivência. Desta forma vivemos exilados de nós mesmos, sem espaço e tempo para uma vida com mais significado.

A nossa busca é por estar mais perto da natureza, do sentido e do significado.

E foi pensando nessa nova forma de se colocar no mundo e viver a nossa casa de forma tão diferente das gerações anteriores, que surgiu todo esse movimento dentro de mim em buscar respostas à essas transições.

Com o propósito de gerar insights sobre caminhos autorais para a construção de um lar que dialogue com a nossa essência e transformações, o Novo Morar dos Brasileiros, a nova série de conteúdo para o Casa Design Studio é uma reflexão sobre o que ocorre quando são feitas escolhas verdadeiras.


Com base em entrevistas com pessoas que já vivem nesse novo formato, como Ruby Borba, Vero Kraemer,  Natalia Viana e muitas outras essa série irá abordar questões significativas na construção desse novo morar.

Já temos data para a nossa estréia de entrevistas, que irá acontecer na segunda-feira dia 10/07 às 20h ao vivo no canal do Casa Design Studio com a Ruby Borba.

Será lindo! Junte-se a nós, vamos bater um papo sobre como todas essas transformações impactam a forma como moramos.




As ilustrações escolhidas para o projeto são da Yoko Honda, suas imagens têm uma estética nostálgica dos anos 80, cores vibrantes, beleza e um toque de glamour.

E você, o que acha sobre todas essas transformações?








Nenhum comentário :

Postar um comentário